Search

‘Do Algodão ao Poliéster’ revisto

Por Andy Santos

Para fazer quem está lendo essa postagem, entrar no contexto, explico que a situação pode ser chamada de: revisita. Eu escrevi “Do Algodão ao Poliéster” em 2007, originalmente um estudo para ser mostrado a alguns professores na Ufrj, contudo não era um trabalho valendo nota, sendo um tema que observava há muitos anos. E recentemente eu o encontrei escondido no meu Skydrive e passei para amigos, como o Renato Faria, analisarem. E aí combinei com ele sobre um post para o De Toda Forma sobre essa peça já “antiga” dos meus quadros.

O por quê de fazer o “Do Algodão ao Poliéster” foi que em julho de 2007, mais ou menos por aí, o Atlanta Hawks, equipe de basquete da NBA, mudou toda a sua identidade visual, desde o logo aos uniformes, passando pela paleta de cores. E o cuidado, a maneira que eles divulgaram a novidade me chamaram a atenção. Fazia um tempo que gostaria de escrever sobre logos e uniformes das ligas esportivas americanas, como disse antes, um tema que observava, e os Hawks foram a chama que me instigou.

Logo primário atlanta Hawks (1995 - 2007)

Logo primário atlanta Hawks (2007-presente)

Fora que a nova identidade dos Hawks foi um evento, teve todo cuidado no design, de atualizar o logo antigo, retirar elementos pesados, incluir novos, como a tipografia e outros tons de cor. O vermelho ficou mais suave, em harmonia com o azul e cinza. Fora o slogan “Novo logo, nova atitude”, pois a equipe vinha mal até então e não está comprovado se isso serviu de fator psicológico para jogadores, comissão técnica, os donos, mas a equipe de Atlanta deu uma reviravolta e se tornou um dos melhores times da NBA. Dá pra citar outros casos assim, um uniforme novo, com formas e cores diferentes ajudam um pouco, não vai fazer virar um Lakers da época do Showtime, porém é um novo ar, um novo alento. Bom tema pra se discutir.

Uniforme Hawks visitante (1995-1999)

Uniforme atual Hawks mandante (2007-presente)

Uniforme atual Hawks visitante (2007-presente)

Tema principal definido, trabalho pronto, ok? Não, eu achei que precisava de algo a mais, a primeira parte foi buscar e falar sobre o histórico de logos e alguns uniformes do Atlanta Hawks. Depois, um levantamento geral de marcas nas principais ligas, o comparativo de logos antigos e atuais. E olha que curioso, fui observando mais atentamente e um fato importante é de alguns times mudarem suas identidades, a maioria dos anos 90, para uma estética simples e limpa, às vezes com duas cores apenas. Bem oposto com a overdose de sombras, texturas e tonalidades que determinaram a identidade dos clubes a partir de 1994, 1995 e durou até o começo do novo milênio. Formas agressivas, pesadas, ocupando grandes espaços e não sei como isso se transvestia nos uniformes e até quadras! Não tenho provas em mãos, contudo na época citada, os softwares invadiram os escritórios e seria natural que o experimento de ferramentas novas fosse acontecer, criar texturas e volumes estava mais fácil pro designer desenvolver.

Logos Golden State Warriors

Logos Houston Rockets

Uniforme Houston Rockets branco (1995 - 2003)

Uniforme Houston Rockets branco (2003 - presente)

Olhar depois de quase 7 anos um trabalho realizado nos tempos de faculdade traz muitas lembranças, de como era tudo na época, a forma de pesquisa, a elaboração do texto, a diagramação, os conceitos, a temática. Quando realizamos tal ação se conclui que faltou por algo, que podia melhorar a margem da diagramação, fazer outro título etc. Mas o que guardo com carinho é que “Do Algodão ao Poliéster” foi a minha primeira expressão textual pra valer, fora do universo acadêmico. Não é o tema que todos atentem, ou gostem, no entanto o mais bacana é ter a possibilidade de mergulhar no assunto, por mais diferente que seja e transformá-lo em algo acessível e interessante para o mais neutros dos leitores.

***

Andy Santos é designer,
atuando na Facilite Web e blogueiro do Café com Andy


***

Siga o De Toda Forma:
Facebook - https://www.facebook.com/detodaforma
Google+ - http://gplusid.com/DeTodaForma
Twitter - https://twitter.com/detodaforma


8 comentários:

  1. Quando Andy me mostrou esse estudo sobre a identidade visual das equipes americanas de basquete, não pensei em outra coisa. "Cara, isso ficaria perfeito no De Toda Forma!". Ele topou! O artigo poderia estar muito bem em seu próprio blog, o "Café com Andy", mas generosamente ele me ofereceu esta inédita e aqui está. Um texto inspirado, de quem tem um olhar apaixonado pelo assunto. Obrigado Mestre!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, mt bom texto, tema e abordagem! Gostei demais! Parabéns ao Andy Santos e ao De toda forma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Andy, obrigado pela mensagem e pela presença! Pô, os Andys estão invadindo... Grande abraço,

      Excluir
  3. Muito interessante o artigo. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilha Plínio, obrigado! Grande abraço,

      Excluir
  4. Mestre, mais um dos frutos da nossa parceria, eu sei que eu perturbo você e um tanto de gente com esse tema hahaha, mas tu ouviu as considerações, os estudos, daí tu tirou suas conclusões, tirou dúvidas, discutimos, fomos melhorando o texto. Bora buscar outros temas e claro, nos aprofundarmos nesse, que é algo riquíssimo e tem diversos registros. Obrigado novamente pelo espaço cedido, e vamo que vamo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais que tudo, aprendi e ampliei o repertório! Hoje o De Toda Forma entrou em Forma... Vamo q vamo! Forte abraço,

      Excluir
  5. Belo texto, comentários e observações, meu amigo.
    Eu também admiro muito a linguagem e expressão que os americanos tem para marcas, em especial as esportivas, no basquete, hockey, baseball, etc. É natural uma evolução e atualização. Tem muitas referências de época, de tendências e até alguns modismos, mas é natural que a essência permaneça, mas também a reflexão e esse olhar para se reinventar. Às vezes as mudanças são necessárias, para reposicionar ou impulsionar os times, jogadores e torcidas e estimular todo esse conceitual e cultura que envolve a competição e dinamismo dos esportes.
    Parabéns pelo texto. Abraço, amigo.
    Rogério Marçal

    ResponderExcluir